O guia de sobrevivência para o TDAH


É com imenso prazer que lhes recomendo o livro GUIA DE SOBREVIVÊNCIA PARA O TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADEdas autoras Camila Luisi Rodrigues, Mestre em Ciências pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e Especialista pelo mesmo departamento em psicologia hospitalar em Avaliação Psicológica e Neuropsicológica, e Mayra Helena Bonifacio Gaiato, Mestre em Psicologia Experimental – Análise do Comportamento pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

E é a própria autora Camila Luisi Rodrigues quem fará a apresentação desse material tão interessante, atendendo um pedido do site Tudo sobre TDAH. Então que tal conhecer sua obra?

guia de sobrevivência tdah

O guia de sobrevivência para o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

Ele parece estar no mundo da lua… será que essa distração é normal? Ele é muito agitado… será que é hiperativo? Muitas pessoas hoje procuram o consultório com essas perguntas. Como saber até que ponto essas características são consideradas normais para a idade ou patológicas e sendo assim necessárias de tratamento.

A ideia de elaborar “O guia de sobrevivência para o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade” surgiu diante da necessidade das autoras em ferramentas de orientação e estimulação sobre o tema.  Foi escrito especialmente para o portador de TDAH. Contém informações sobre o transtorno visando o aumento do conhecimento tanto pelos portadores, familiares e profissionais que se deparam com alguns desafios.

De um modo geral, relata uma experiência de consultório psicológico, por meio de um caso clínico (fictício), baseado na experiência profissional das autoras, bem como a literatura sobre o assunto. Nesse livro há o relato dos caminhos que uma família percorreu até descobrir e entender com maiores detalhes os sintomas e o modo de tratá-los. As autoras procuraram relatar os sentimentos e as dúvidas mais frequentes, assim como o papel de cada profissional envolvido (professor, psiquiatra e psicólogo).

Abordam ainda a polemica a respeito da medicação e o tratamento psicológico. Sugere que a pessoa procure realizar uma avalição mais objetiva, chamada neuropsicológica. Essa avaliação aponta as habilidades e dificuldades cognitivas do portador de TDAH, auxiliando assim na organização de um programa de tratamento para estimular as funções deficitárias.

Além de objetivo de orientação, há uma parte do livro destinada ao treino dessas funções que podem estar deficitárias. Por conta disso, há o relato do padrão encontrado na literatura sobre o tema. Muitos artigos ressaltam que como o próprio nome já diz, provavelmente a pessoa tenha uma fragilidade na atenção, assim como nas funções executivas.

“Elas são como se fossem um guarda de trânsito, porque ajudam a organizar tudo o que temos que fazer, passo a passo. Seria assim: elas nos ajudam a saber de onde estamos saindo, aonde queremos chegar e o que fazer para manter esse caminho, ou ainda nos desviar de obstáculos e imprevistos no meio do caminho. Por exemplo, no trânsito, quando há algum problema, um guarda nos ajuda dizendo quem deve passar, em que momento, se estamos fazendo algo errado ou não, se devemos mudar de caminho…”

Sendo assim, o livro apresenta algumas técnicas para diminuir dificuldades na sua capacidade de manter a atenção, assim como formular e fazer planos. As atividades para crianças e adolescentes são lúdicas, mas há também algumas atividades visando a população mais adulta. Para buscar um maior envolvimento das crianças nas atividades, as autoras usaram uma associação com um carro, como descrito abaixo:

“Olá, eu sou o Buzinão, um carro muito veloz. Como vocês podem ver, estou precisando de ajuda… Ultimamente ando um pouco distraído e correndo por aí. Por causa disso, andei me machucando… Para mim, é difícil esperar o farol abrir, ou quando tem muito trânsito… Não gosto de esperar… Como não tenho paciência, acabo furando as filas e passando na frente de outros carros, então os outros não gostam muito de ficar perto de mim… Dizem que eu tenho TDAH… Isso significa que o meu motor, ou seja, o seu cérebro, tem um jeito especial de funcionar. Ele faz você ter algumas alterações na atenção, na impulsividade e/ou na velocidade de fazer as coisas…. Pois é, agora que você sabe do que se trata esse livro, vamos seguir com o nosso treino. Como na academia, aonde as pessoas vão para ficar com um corpo mais arrumado, nós iremos nos exercitar para ficar turbinados.”

Abaixo segue um exemplo de uma atividade com o objetivo de treinar atenção visual:

“Será que você é um bom detetive? Tente descobrir os dois desenhos iguais e faça um círculo em cada um deles. Uma dica: olhe com cuidado os detalhes… Use essa dica para outras atividades…”

post livro

Sobreviver, de acordo com o dicionário, significa resistir, enfrentar, atravessar e escapar. Dessa maneira, esse guia busca ser um guia de sobrevivência para que se possa, após a leitura, adquirir maior consciência do transtorno, assim como saber o que fazer para superar suas consequências, de maneira prática.

Este livro nada mais é do que uma ferramenta para ajudar a estimular funções cognitivas que podem estar deficitárias devido aos sintomas do transtorno. Nosso objetivo é que, por meio das atividades propostas neste livro, ela consiga reduzir os impactos dessas alterações de maneira mais lúdica e prazerosa.

No caso de dúvidas e/ou orientações sobre as atividades propostas no livro, entre em contato pelo e-mail [email protected].

Não deixe de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *