Estratégias para lidar com a impulsividade


A primeira estratégia para lidar melhor com a impulsividade é conhecer melhor o que ela é e os prejuízos que pode trazer.

A impulsividade manifesta-se por reações repentinas e impensadas. Dessa forma, indivíduos impulsivos têm o que poderia ser chamado de “miopia do futuro”, ou seja, eles têm dificuldades em prever as consequências de suas ações, especialmente aquelas de longo prazo. Comportamentos impulsivos podem se manifestar como intromissões sociais (por exemplo, interromper os outros excessivamente) e/ou como tomar decisões importantes sem levar em conta as consequências a longo prazo (por exemplo, assumir um trabalho sem as informações adequadas). Por isso, a impulsividade pode refletir um desejo de recompensas imediatas ou uma incapacidade de adiar a gratificação.

Outro problema associado à impulsividade é o risco de acidentes. Estudos indicam que crianças  e adolescentes com TDAH tendem a se envolver em um maior número de acidentes e apresentarem lesões mais graves, tais como: fraturas, feridas abertas, envenenamento, concussão e queimaduras. O período de hospitalização após o acidente é mais longo, sendo  mais frequentes internações em unidades de terapia intensiva e a utilização de programas de reabilitação.

A impulsividade também tem sido associada à compulsão alimentar. Manifestações de impulsividade, tais como deficiência no controle inibitório e atraso na aversão podem promover comportamentos alimentares anormais e, consequentemente, a obesidade .

impulsividade

Com esses problemas em mente, outras estratégias para pais e profissionais da saúde e da educação devem incluir:

1. Oferecer feedback consistente, imediatamente após o comportamento da criança.

2. Prefira o reforço positivo ao negativo, ou seja, valorize aspectos positivos do comportamento, ao invés de reprimir o que o indivíduo com TDAH faz de errado

3. Estabeleça combinados claros e diretos Deixe claras as regras e os limites inclusive prevendo consequências ao descumprimento destes. Seja seguro e firme na aplicação das punições quando necessárias. Lembre-se que a criança se tornará mais segura se souber o que se espera dela.

4. Avalie diariamente com a criança o seu comportamento e seu desempenho. Sempre que possível estimule a auto-avaliação

5. Adote um sistema de pontuação. Incentivos e recompensas, em geral, alcançam bons resultados.

6. Fique atento à situações que apresentem riscos de acidentes.

7. Observe o comportamento alimentar do indivíduo, a impulsividade pode levar a obesidade e reduzir ainda mais a auto-estima dos indivíduos com TDAH, além de trazer problemas para a saúde geral.

Não deixe de ler

2 Comentários

  1. Avatar Natália Bastos disse:

    A colocação reforço positivo e negativo não foi bem colocada, sugiro alterar, pois segundo a análise do comportamento, reforço positivo refere-se à fornecer algo que aumenta a frequência do responder da criança futuramente, seja um elogio, algo que goste de comer, um passeio…
    Já reforço negativo, refere-se à tirar algo que é aversivo para a criança, e após tirado também aumentará sua frequência de resposta futura. desta forma, chama-se reforçador tudo aquilo que aumentará a frequência de determinada resposta sob contexto semelhante, e os teros positivos e negativos não estão relacionados à bom ou ruim, mas sim à, respectivamente, acrescentar ou retirar um estímulo de determinada circunstância. Segue-se que o restante do artigo está muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *