Entendendo a hiperatividade e a impulsividade

O grau de atividade de um indivíduo caracteriza-se por seu comportamento motor e mental, que pode ser adequado para a idade e a circunstância ambiental, ou não. Assim, chamamos de hiperatividade quando a atividade motora e/ou mental é inadequada e excessiva. Na infância, a hiperatividade é facilmente observada, pois a criança hiperativa está se movendo constantemente, muitas vezes ela parece não ter domínio de seu próprio corpo e suas ações são desencontradas com seus pensamentos.

hiperatividade

A impulsividade foi definida como tomada de decisão sem a consideração de todas as implicações de cada aspecto da situação e as possíveis consequências do comportamento, ou seja, ela se manifesta por reações impensadas e repentinas. Por isso, pessoas impulsivas geralmente tem dificuldade em prever as consequências de suas ações.

Algumas características do conjunto hiperatividade/ impulsividade, que no caso do TDAH devem ser frequentes, ocorrer em mais de um local e prejudicar a vida do portador: levantar-se com frequência da cadeira da sala de aula; agir antes de pensar, dificuldade de esperar a vez, responder a perguntas antes que estas estejam concluídas, correr exageradamente ou subir em móveis em situações inadequadas, fazer movimentos com as mãos ou pernas quando sentado, falar excessivamente, entre outras. Assim, por apresentarem essas características frequentemente são consideradas “ligadas no 22o”, “ligadas no motor” ou “com bicho carpinteiro”.

2 Comentários

  1. daniella cristina giotti disse:

    Olá, bom dia!
    Vocês saberiam me dizer qual a porcentagem de TDAH com predominância em hiperatividade-impulsividade em adultos? Tenho 37 anos, fiz um teste neuropsicológico que acusou hiperatividade-impulsividade com pouca desatenção, mas não encontro material para ler sobre esse diagnósticos e tratamentos em adultos, tem muita coisa sobre criança.
    Gostaria de saber se é comum esse diagnóstico em adulto. Obrigada.

    • Juliana Goulardins Juliana Goulardins disse:

      Olá Daniella,
      Originalmente, o TDAH era considerado um transtorno exclusivamente da infância. Hoje, é reconhecido que, em 40-60% dos casos, os sintomas persistem na idade adulta e idade avançada, afetando aproximadamente 2-4% dos adultos e 3-4% dos idosos.